Os Contos de Belazarte
– Mário de Andrade

A obra tem sua origem nas crônicas publicadas pelo autor na revista América Brasileira entre 1923 e 1924. Por se tratar de um escritor inovador rebelou-se contra a mesmice das normas vigentes à época tornando-se um importante modernista e transformador da linguagem. Movimento Modernista Reinventou a linguagem aproximando-se do leitor, ao retratar a expressão popular como ela é, na forma mais comum e real do diálogo. Participou da Semana de Arte Moderna – o Movimento Modernista ocorrido em 1922 que reformulou as artes visuais e a literatura brasileira -, militou ao lado de Oswaldo de Andrade, Anita Malfatti, Tarsila de Amaral, Di Cavalcnati entre outros. Para que se tenha ideia da importância do autor para a literatura brasileira, leia alguns trechos … [ Continue lendo ]

Tags Mário de Andrade, Resenha | Deixe um comentário

A Morte de Ivan Ilitch
– Leon Tolstói

O texto aborda questionamentos sobre o sentido da vida e a busca do entendimento a respeito da fase que a maioria dos humanos rechaça: a morte.   A futilidade, a intolerância, o zelo moral e a busca desmedida do reconhecimento, além da valorização profissional são questionados no momento que o homem se depara com o sentimento de finitude e a real proximidade da morte. A morte como processo O processo da morte, por ser único e diferente para cada ser humano, não abarca experiências pessoais que possam servir de subsídio para o entendimento do fato. Ivan Ilitch, personagem escolhido, por Tolstói, para retratar a fase final da vida, busca entender o porquê do sofrimento exacerbado e duradouro que antecede à morte, … [ Continue lendo ]

Tags Leon Tolstói, Resenha | 1 Comentário

Travessuras da Menina Má
– Mario Vargas Llosa

De um lado um amor sem limites, do outro uma ambição desmedida e inconsequente. Assim, Mario Vargas Llosa constrói a brilhante história de Ricardo Somocurcio e Otilia. Camaleoa A canalhice, normalmente praticada pelos homens nas relações amorosas, é colocada, desta vez, na figura feminina e, ao que parece, apesar das ações desprezíveis recheadas com toque de carinho verbal, leva o leitor a não odiar a personagem. Otilia muda de nome como camaleoa muda de cor, para praticar as safadezas. Ricardo não consegue entendê-la. As aventuras da menina má deixam de ser uma necessidade para transformar-se em aberração de caráter. Vai ao encontro do risco, por necessidade de sofrimento. Sofrer era não se aventurar e sujeitar-se ao risco era uma forma … [ Continue lendo ]

Tags Mario Vargas Llosa, Resenha | 2 Comentários

A Marca Humana
– Philip Milton Roth

Um decano da Faculdade de Athenas, nos Estados Unidos, depois de dedicar a sua vida ao ensino, é acusado de racismo por se referir a dois alunos, que nunca apareceram na classe, como spooks. A história desse professor de setenta e dois anos teria sido diferente se os alunos citados não fossem negros. Coleman Silk é pressionado, inclusive por outros professores, e resolve pedir desligamento da faculdade. Após a morte da esposa, o decano pede ao vizinho, Nathan Zuckerman, para escrever a sua história e decide narrar os acontecimentos e suposições dos fatos. Na verdade, o professor era filho de pais negros, apesar de possuir características fenotípicas de brancos. Ao ser discriminado por uma namorada branca, que o rechaçou após … [ Continue lendo ]

Tags Philip Roth, Resenha | 1 Comentário

A Queda
– Albert Camus

O texto traduz o sentimento da ansiedade, próprio de indivíduo angustiado e com necessidade de ser ouvido, devido à falta de atitude que levou Jean-Baptiste Clamence, protagonista da história, a sentir culpa por não ter dado a atenção a um fato que resultou na morte de uma mulher. Leitor e interlocutor A impossibilidade de retroceder no tempo e transformar a omissão em ação fez do personagem um indivíduo ansioso e o autor decide estruturar o texto em um monólogo, capaz de colocar o leitor na condição do desconhecido interlocutor, inoperante e absorto. Hedonismo Jean-Baptiste Clamence, advogado parisiense que se denominou “juiz-penitente”, deixou o glamour da cidade após uma vasta experiência hedonista, na qual a busca do prazer e da satisfação pessoal … [ Continue lendo ]

Tags Albert Camus, Resenha | 7 Comentários

A Revolução dos Bichos
– George Orwell

O livro faz críticas à Revolução Russa, à sociedade europeia e às castas dominantes inglesas. Questiona sobre a forma, conveniente, da imprensa tangenciar os julgamentos ao regime. O autor, de forma inusitada, retrata fatos discordantes das ideologias políticas que vigiam na Europa. O texto diverte e possibilita o aprofundamento para o entendimento do comportamento social. George Orwell faz uma analogia entre líderes da Revolução Russa e o comportamento dos porcos da Granja dos Bichos. A granja com cenário Major, um porco que tinha percepção dos motivos que o mantinha vivo, conscientizou os animais da Granja Solar para a necessidade de uma rebelião e implantação de uma revolução que transformasse a sociedade animal, cujos valores decorriam do tratamento equânime. Major morre, … [ Continue lendo ]

Tags George Orwell, Resenha | 1 Comentário

Caim
– José Saramago

A história de ficção, escrita por Saramago, tem o propósito de instigar o leitor sobre um tema polêmico e de difícil conclusão. O primeiro criminoso A autor usa a sua capacidade narrativa e criatividade para desenvolver um drama, baseado no Velho Testamento, que coloca o primeiro criminoso da história, como protagonista e questionador dos desígnios de Deus. O filho primogênito de Adão e Eva, Caim, matou o irmão, Abel, por ciúme e tornou-se um andarilho a testemunhar acontecimentos, relatados como castigos do Criador. Sodoma e Gomorra, Torre de Babel, Arca de Noé, e o testemunho de fé de Abraão ao levar o filho, Isaac, para o sacrifício, são alguns das indagações de Saramago. Destruir Sodoma e Gomorra sem poupar as … [ Continue lendo ]

Tags José Saramago, Resenha | Deixe um comentário

O Príncipe
– Nicolau Maquiavel

Maquiavel sonhou unificar a Itália e defendê-la dos povos estrangeiros. Escreveu O Príncipe e dedicou a obra a Lourenço de Medici. “Espero que não seja considerado presunçoso que um homem de baixa e ínfima condição ouse examinar e regular o governo dos príncipes; pois, assim como os que desenham as paisagens se colocam embaixo, na planície, para observar a natureza dos montes e dos lugares elevados, e, para observar a forma dos lugares baixos, se colocam no alto, em cima dos morros, assim, também, para conhecer a natureza dos príncipes, é preciso ser do povo.”   Tempo Maquiavel tinha uma concepção realista sobre o tempo, solução e problema. “Gozar os benefícios do tempo, mas também os benefícios de sua virtù … [ Continue lendo ]

Tags Nicolau Maquiavel, Resenha | 2 Comentários

Crônica de Uma Morte Anunciada
– Gabriel García Márquez

O extravagante Bayardo San Román decidiu procurar uma mulher para se casar em uma pequena cidade da Colômbia. Ao se deparar com a jovem Ângela Vicário lhe pediu em casamento e ofereceu o conforto da melhor casa da cidade. Insegura, por não ser virgem, Ângela, pensou em resistir à proposta, contudo, foi persuadida a simular a donzelice na noite de núpcias. O casamento No dia do casamento, após as festividades que mobilizou inúmeros convidados, ela resolveu não fazer o que a haviam orientado e teve, em troca, o imprevisto de ganhar uma surra do marido, além do dissabor de ser devolvida à família. Interrogada pelos seus irmãos, que queriam saber quem a havia desvirginado, ela disse que tinha sido Santiago … [ Continue lendo ]

Tags Gabriel García Márquez, Resenha | Deixe um comentário

Crime e Castigo
– Fiódor Mikhailovitch Dostoiévski

Um estudante, pobre, que habitava um pequeno quarto de uma pensão na cidade de São Petersburgo, na Rússia, foi o personagem escolhido por Dostoiévski para expor efeitos psicológicos, originados em conceito fictício, que classifica a humanidade em seres especiais e seres materialistas. Pessoas especiais ou materialistas Conforme o conceito, era permitido às pessoas consideradas especiais não se aterem às leis e regras definidas, considerando, para efeito, a sua posição social e intelectual. Estas pessoas poderiam cometer crimes, sem, necessariamente, refletirem sobre o fato ou sofrerem retaliações. Aos indivíduos tidos como materialistas cabia o cumprimento das leis e regras definidas pelos ditos seres especiais. Napoleão Bonaparte e os crimes Rodion Românovitch Raskólnikov, protagonista da história, se considerava um indivíduo especial e tinha … [ Continue lendo ]

Tags Fiódor Mikhailovitch Dostoiévski, Resenha | 1 Comentário