Zadig ou O Destino
– François-Marie Arouet (Voltaire)

O autor escolhe uma forma inusitada para questionar situações que possam ser encaradas como obras do destino.

As mensagens simbólicas aparecem na forma prosaica, parecidas com os contos que ouvimos dos mais velhos.

As surpresas

Voltaire relata as consequências negativas das boas ações praticadas pelo sábio Zadig e coloca em dúvida se a falta de retorno adequado ocorria por envolvimento com mulheres ou por culpa do próprio destino.

Os ensinamentos remetem à avaliação de muitas de nossas ações.

Mesmo quando boas, podem, também, ser motivos para questionamentos devido aos interesses particulares dos julgadores.

Na situação inversa, quando incorporamos a ação de julgar, muitos dos nossos sentimentos e emoções estão contidos na avaliação e interferem, queiramos ou não, no resultado do ato.

Com maestria, Voltaire, de forma sutil e engraçada, transcorre por zonas filosóficas e crenças religiosas.

O leitor, satisfeito, questiona-se sobre a coerência dos julgamentos e de crenças, e deseja que o protagonista Zadig dê certo, mas, o “destino” lhe prega muitas surpresas.

François-Marie Arouet (Voltaire)

francois-marie-arouet-voltaireNasceu na França em 1694 e ficou conhecido pelo pseudônimo de Voltaire.

Filósofo iluminista é conhecido pela acuidade na defesa das liberdades civis e religiosas.

Escreveu nas mais várias formas literárias.

Sua obra influenciou importantes decisões políticas a exemplo da Revolução Francesa.

Referência bibliográfica

Voltaire, 1694-1778
Zadig ou O Destino / Voltaire
93p.
ISBN 85-319-0681-4
1. Filosofia francesa 2. Voltaire, 1694-1778 I. Título II. Série.

(R)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *