Ao atirar-se do alto do monte Balan, com o intuito de acabar com a sua vida e a do filho que carregava no ventre, a jovem chinesa não imaginava que a energia provocada pelo impulso pudesse expulsar o pequeno Shento, filho de um respeitado general do exército chinês.

A revelação

Encontrado por um velho curandeiro pendurado num galho de uma árvore, preso pelo cordão umbilical, Shento foi salvo e teve a infância parecida com a de muitas outras crianças chinesas, até o dia que um faminto mendicante lhe propôs contar a verdadeira história de sua vida em troca do lanche que carregava.

Daí em diante, o jovem Shento elegeu o seu verdadeiro pai como referência e aguardou que ele o reconhecesse como filho, contudo, apesar da aproximação ocorrida devido o excelente desempenho que tinha na escola, alguns fatos impediram a continuidade do convívio.

Posteriormente, a interferência de pessoas da família provocou revolta no jovem disposto a lutar por um lugar ao sol.

Relacionamento e fuga

Jogado em uma escola com características de campo de concentração nazista, Shento conheceu a jovem Sumi e deste convívio nasceu um relacionamento amoroso que resultou no assassinato de três colegas no momento que tentavam estuprá-la.

A fuga de Shento tornou-se inevitável, porém, o desapontamento por tê-la abandonado, naquele ambiente degradado, foi transformado em motivação para um provável reencontro.

Enquanto isso, Tan Long, meio-irmão de Shento, vivia em berço de ouro em Beijing. Convivia com a família e frequentava escolas de qualidade.

Sua professora de inglês, Miss Yu, o envolveu em movimentos estudantis voltados para a democratização da China resultando na prisão e tortura de Tan, por ter ajudado na fuga de Miss Yu.

Diante do acontecimento, Tan Long teve o dissabor de ver o seu avô e pai afastados de cargos importantes que exerciam no governo.

Reclusos em terras da família, os Long´s, se tornaram proprietários de grandes conglomerados empresariais, devido a uma ousada estratégia de Tan Long ao resgatar títulos públicos que haviam sido adquiridos por ninharia, quando não se acreditava que os referidos títulos viessem a ser honrados pelo Banco da China.

O jovem Tan Long conheceu Sumi, no período que ela se submetia aos caprichos de um esquisito empresário para prover a sobrevivência do filho, fruto da relação que teve com Shento na escola.

Sem saber da existência do seu meio-irmão tampouco a história dele com Sumi, Tan Long matou o empresário, que se dizia dono de Sumi, e a libertou juntamente com o filho Tai Ping.

Partido Democrático Chinês

partido-democratico-chines-1Sumi tornou-se escritora e, ao lado de Tan Long, membros do Clube da Árvore Venenosa e do Partido Democrático Chinês. Foi defensora dos direitos humanos na China e teve seus livros e textos usados como ferramenta de campanha para democratização do país.

Shento galgava postos importantes no governo e se interessava pelo paradeiro de Sumi, na esperança de um dia poder viver ao seu lado.

Ao encontrá-la, ficou decepcionado devido ao envolvimento dela com o seu meio-irmão.

Propôs viver com Sumi e seu filho, que acabara de conhecer.

Enquanto aguardava a sua decisão fez várias incursões para destruir o seu meio-irmão.

Revoltada com as ações de Shento, Sumi, afastou-se dos dois para encerrar o conflito.

Daí em diante, Shento, sem perceber, foi usado pelo então presidente Teng Tu para destruir a família do seu pai Long.

As ações resultaram em consequências desastrosas, inclusive, para o próprio Shento, que ao substituir Teng Tu no cargo de presidente do país se deparou com problemas psicológicos.

Em momento de desespero e desilusão Shento pondera:

“Neste vazio, fui despido de todo o meu poder e voltei a ser o enjeitado nu que eu era. Meu coração tinha fome e meus pés estavam frios.”

O autor da obra, Da Chen, dá um show em sua primeira incursão na área da ficção.

O leitor fica ansiado para completar o texto, rico em detalhes, que inclui as tradições orientais e o regime ditatorial chinês.

A história lembra o livro “Caim e Abel” escrito por Jeffrey Archer, em outro plano político-social.

A estrutura e a forma se assemelham, porém, Da Chen rebrota o texto a exemplo das gemas da árvore que salvou o pequeno Shento.

Da Chen

da-chen-1Nasceu no sul da China, em 1962, emigrou para os Estados Unidos aos 23 anos.

É formado pela Faculdade de Direito da Universidade de Columbia.

Mora na região do rio Hudson, no estado de Nova York com a esposa e os dois filhos.

 

 

Referência bibliográfica

bd85c-amontnhaeorioChen, Da, 2007
A montanha e o rio / Dan Chen – Rio de Janeiro: Record, 2010.
496p.
ISBN 978-85-20-91992-7
1. Romance chinês – I. Título
(R)