A falta de percepção de significado para a vida, originada por uma silenciosa depressão, induziu a jovem Veronika tentar suicídio fazendo uso de um coquetel de comprimidos.

Desacordada, foi levada a uma clínica para pacientes com problemas mentais.

Lá, deparou-se com uma situação inusitada: viu-se ludibriada pelo médico psiquiatra, que a usou em experiências, objetivando ajudar o tratamento de outros internos.

Cobaia humana

veronika-1Lúcida, apesar de ter sido convencida que lhe restava poucos dias de vida, a jovem tentou fugir da clínica e antecipar, mais uma vez, a sua morte, já que não encontrava motivos para aguardar a natureza se encarregar do fato.

Por sua vez, o médico, cônscio que Veronika ainda podia viver por muito tempo, procurou mantê-la na experiência médica, na clínica, com segurança.

Ao receber a visita dos pais, Veronika tenta explicar que nada do que havia acontecido tinha fundamento na relação familiar.

Apesar de depressiva, a jovem tinha perfeita consciência dos acontecimentos e com a ajuda de outros pacientes conseguiu se desvencilhar da situação, fugindo com um rapaz que havia bloqueado a fala, por sentimento de culpa, devido a morte de sua namorada em um acidente de carro.

Mente fictícia

veronika_decide_morrer-7O livro remete à reflexão, sobre a capacidade da mente em processar sentimentos que podem levar a comportamentos e atitudes que mascaram alternativas para a felicidade.

Mostra, ainda, que a falta do autoconhecimento e da percepção de uma visão dimensional de coisas, tempo e temas que envolvem a aquietação, necessária ao aguardo de soluções aparentemente insolúveis, pode levar o indivíduo a atitudes divergentes da ordem natural da vida.

Paulo Coelho

paulo-coelho-1Nasceu em 1947, na cidade do Rio de Janeiro.

Antes de dedicar-se inteiramente à literatura, trabalhou como diretor e ator de teatro, compositor e jornalista.

Vendeu mais de 100 milhões de livros, de acordo com a revista americana “Publishing Trends”.

O Alquimista é um dos mais importantes fenômenos literários do século XX.

Chegou ao primeiro lugar da lista dos mais vendidos em 74 países, e vendeu mais de 35 milhões de exemplares.

Este livro lhe rendeu em 2008 Prémio Guinness World Record pelo livro mais traduzido no mundo.

Referências bibliográficas