Crônica de Uma Morte Anunciada
– Gabriel García Márquez

O extravagante Bayardo San Román decidiu procurar uma mulher para se casar em uma pequena cidade da Colômbia. Ao se deparar com a jovem Ângela Vicário lhe pediu em casamento e ofereceu o conforto da melhor casa da cidade. Insegura, por não ser virgem, Ângela, pensou em resistir à proposta, contudo, foi persuadida a simular a donzelice na noite de núpcias. O casamento No dia do casamento, após as festividades que mobilizou inúmeros convidados, ela resolveu não fazer o que a haviam orientado e teve, em troca, o imprevisto de ganhar uma surra do marido, além do dissabor de ser devolvida à família. Interrogada pelos seus irmãos, que queriam saber quem a havia desvirginado, ela disse que tinha sido Santiago … [ Continue lendo ]

Tags Gabriel García Márquez, Resenha | Deixe um comentário

Crime e Castigo
– Fiódor Mikhailovitch Dostoiévski

Um estudante, pobre, que habitava um pequeno quarto de uma pensão na cidade de São Petersburgo, na Rússia, foi o personagem escolhido por Dostoiévski para expor efeitos psicológicos, originados em conceito fictício, que classifica a humanidade em seres especiais e seres materialistas. Pessoas especiais ou materialistas Conforme o conceito, era permitido às pessoas consideradas especiais não se aterem às leis e regras definidas, considerando, para efeito, a sua posição social e intelectual. Estas pessoas poderiam cometer crimes, sem, necessariamente, refletirem sobre o fato ou sofrerem retaliações. Aos indivíduos tidos como materialistas cabia o cumprimento das leis e regras definidas pelos ditos seres especiais. Napoleão Bonaparte e os crimes Rodion Românovitch Raskólnikov, protagonista da história, se considerava um indivíduo especial e tinha … [ Continue lendo ]

Tags Fiódor Mikhailovitch Dostoiévski, Resenha | 1 Comentário

O Processo
– Franz Kafka

A crítica metafórica, escrita por Franz Kafka, traz pitadas proféticas dos excessos burocráticos da justiça e as agruras dos regimes totalitários.   O acusado A história de Josef K., funcionário de uma instituição financeira, apresenta momentos de alucinações e se aproxima de uma realidade, cruel, vivida por um jovem acusado – sem saber do que – por uma justiça burocrática, incompreensível, autoritária, perdulária e inacessível. A narrativa aborda a insatisfação feminina, diante da forma como as mulheres são tratadas pela sociedade. A mulher do oficial da justiça, cuja casa em que mora serve para a realização de reuniões de interrogatórios, mostra-se insatisfeita e disposta a ir para qualquer lugar com o protagonista da história. Josef K., em visita à casa … [ Continue lendo ]

Tags Franz Kafka, Resenha | 11 Comentários

As Intermitências da Morte
– José Saramago

A narrativa permite avaliações diversas com base no ângulo que mais lhe convier. Contudo, por mais que se escolha um foco, as questões éticas, políticas e sociais permeiam a história de forma hilária. O ocidental tem por hábito excluir-se do contexto ao falar sobre a morte. Saramago trata o tema com naturalidade e muitas das vezes de forma cômica. Leva o leitor a avaliar as consequências de uma eventual greve daquela que a maioria dos mortais não a querem por perto. A temática da escrita é focada na morte, do início ao fim da narrativa, e leva o leitor a tentar se inserir no dialogo com a figura temida da morte. Greve não recomendada O desejo da inserção tem o objetivo de … [ Continue lendo ]

Tags José Saramago, Resenha | 1 Comentário

Quando Nietzsche Chorou
– Irvin D. Yalom

O doutor Josef Breuer, médico, casado com Mathilde, filha de uma rica família, e o importante filósofo alemão Friedrich Wilhelm Nietzsche, apaixonado pela atraente russa Lou Salomé, amargam duelos de titãs, cujos ensinamentos foram absorvidos por Freud, amigo, confidente e discípulo do médico. Apesar de pouco interesse que tinha por Nietzsche, Salomé percebeu, nele, conflitos existenciais que poderiam levá-lo ao suicídio. Enxaquecas Escreveu ao doutor Breuer, para convencê-lo a tratar das enxaquecas do filósofo. Breuer fez algumas exigências e terminou se encontrando com Salomé, em Veneza, para discutirem a estratégia da consulta, já que Nietzsche não poderia saber o que estava sendo arquitetado. Essa articulação resultou no envolvimento do conceituado médico com Salomé. Conhecendo a filosofia Sem conhecer Nietzsche, o … [ Continue lendo ]

Tags Irvin D. Yalom, Resenha | 3 Comentários

Ensaio Sobre a Cegueira
– José Saramago

Por que José Saramago deixou de fora a Mulher do Médico quando resolver cegar os habitantes de uma cidade fictícia? Quis preservar a personagem para através dos seus olhos para ajudar o leitor a analisar as facetas do comportamento humano durante uma crise epidêmica ou mostrar, desde o início do texto, que vale mais reparar do que simplesmente ver? Epidemia A história da chamada Cegueira Branca, que se espalhou por uma cidade atemporal, registra as atitudes para a sobrevivência física, a dignidade, e a espiritualidade do homem, quando submetido a uma epidemia. Quem ainda enxergava se comportava com autoridade, para decidir o que fazer com os cegos. Logo, todos passaram a ficar na idêntica situação, exceto a Mulher do Médico, … [ Continue lendo ]

Tags José Saramago, Resenha | 2 Comentários

A Morte e a Morte de Quincas Berro D’agua
– Jorge Amado

Joaquim Soares da Cunha, conhecido pela alcunha de Quincas Berro D’Agua por ter berrado, no Mercado Modelo, após engolir um copo cheio de cachaça, foi funcionário público e ao se aposentar decidiu abandonar a família por não suportar as pressões da mulher e da filha. Rei dos vagabundos Cercado de amigos que conquistou nos ambientes mais promíscuos da cidade de Salvador manteve uma vida intensa de boemia e ficou conhecido como Rei dos Vagabundos da Bahia. Por sua habitualidade ficou conhecido e adorado nos puteiros mais famosos da cidade, terminou morrendo em um deles. Velório Enquanto Vanda, sua filha, pensou em levar o corpo do pai para casa e realizar um velório à altura da importância social da família, seu esposo … [ Continue lendo ]

Tags Jorge Amado, Resenha | Deixe um comentário

Pergunte ao Pó
– John Fante

O protagonista é um jovem de 20 anos que queria ser escritor. Apesar das dificuldades financeiras, que o impelia a viver em um hotel chinfrim na cidade de Los Angeles, não perdia a empáfia por considera-se inteligente e digno de sucesso por ter escrito o conto “O Cachorrinho Riu”. Distribuía gratuitamente o seu primeiro trabalho e colocava exemplares em locais públicos para, desta forma, tornar-se conhecido e prestigiado. Apesar dos esforços, a situação de quase anonimato perdurou mantendo-o em dificuldade financeira. Arturo Bandini queria escrever sobre a vida e o amor, contudo, a pouca experiência dificultava o desenvolvimento dos temas, até se apaixonar por uma garçonete mexicana, Camilla Lopez, e por ela ser rechaçado. Preconceito por latinos Passou a tratá-la … [ Continue lendo ]

Tags John Fante, Resenha | Deixe um comentário

Fantasma
– Luiz Alfredo Garcia-Roza

O texto fala sobre um misterioso crime cometido na avenida Copacabana, Rio de Janeiro, cuja provável testemunha era Princesa, uma pacata e fantasiosa moradora de rua. Por ter sido saqueado, após a morte – se é que alguém pode ser roubado depois de se tornar defunto – o delegado Espinosa tentou convencer a sonhadora Princesa ajudá-lo a desvendar o crime, já que a identificação do morto ficou impossibilitada de ser realizada. Testemunha dissimulada Ocorre que a celeridade desejada pelo delegado não encontrou respaldo na provável testemunha. A cada contato Princesa transformava a história do crime revelando uma nova paixão e quanto mais o tempo passava o delegado Espinhosa e sua equipe perdiam o rumo das investigações. “…Delegado Espinosa? — Bom … [ Continue lendo ]

Tags Luiz Alfredo Garcia-Roza, Resenha | Deixe um comentário

Auto-Engano
– Eduardo Giannetti

O autor nos instiga a refletir sobre o universo subjetivo e a relação intima que o ser humano trava consigo mesmo derivando na prática de ações e entendimentos fictícios, que levam ao autoengano e terminam por fortalecer e sustentar situações que contribuem para o bem-estar psicológico e social. Armadilhas naturais Toma por base a defesa exercida por seres da natureza para exemplificar as armadilhas, praticadas por plantas e animais, objetivando a preservação das espécies, muitas das quais conduzem à prática do autoengano na forma devastadora, a exemplo das doenças auto degenerativas. Lembra, também, sobre o uso de medicamentos como forma de enganar os organismos e terminam por inibir a realidade dos fatos, a exemplo do uso de analgésico e anticoncepcionais. … [ Continue lendo ]

Tags Eduardo Giannetti, Resenha | Deixe um comentário