O Caçador de Pipas
– Khaled Hosseini

Um garoto rico, egoísta, covarde e ciumento, nascido no Afeganistão, arranja um amigo fiel que lhe serve de companheiro e se faz presente nas horas mais difíceis.

A covardia e insegurança, de Amir, certamente provocada pela ausência do bem sucedido pai e da falta da mãe, que não chegou a conhecer, estimulavam a agressividade praticada por outros garotos que viviam em Cabul.

Estratificação social

cacador-de-pipas-3Quando Amir era agredido Hassan, que figurava como seu empregado, se colocava em defesa e os garotos, apesar de próximos, tiveram experiências e sentimentos muito e singulares.

Enquanto Amir demonstrava fragilidade, apesar de compartilhar da respeitada casta pashtun, Hassan tinha motivos, de sobra, para se sentir inseguro por pertencer à etnia hazara, discriminada no Afeganistão.

Hassan passou por algumas situações humilhantes devido ao excesso de dedicação à Amir, principalmente, quando se opunha às provocações do grupo liderado pelo garoto Assef, o qual alimentava ódio pelos hazaras.

Guerra e migração

guerra-no-afeganistao-1Apesar de filhos do mesmo pai, com mães diferentes, Amir tentava entender as suas maldades e Hassan atuava com vigor e desembaraço em defesa do irmão, até que problemas políticos, ocorridos no Afeganistão, separaram os dois personagens.

O rico migrou para os Estados Unidos e o pobre permaneceu em Cabul entregue às mazelas de um país invadido por forças russas e também submetido ao fundamentalismo religioso do talibã.

Nos Estados Unidos, anos depois de casar-se com a compreensiva Soraya, o médico Amir recebeu um telefonema de Rahim Khan, amigo do seu falecido pai, que se encontrava doente no Paquistão.

Decidiu partir ao seu encontro e de lá para o Afeganistão, após tomar conhecimento da tragédia sucedida com Hassan e tentar entender parte sua própria história.

Lá chegando, após as dificuldades encontradas no trajeto, encontrou um país destruído e quase não consegue reconhecê-lo.

Inércia em vez ação

cacador-de-pipas-1Agredido e perseguido por ter abandonado o país, após ser informado por Rahim que Hassan era seu irmão, imagina poder corrigir erros do passado, a exemplo do ocorrido com a traição feita no dia do campeonato de pipas, quando Hassan foi estuprado por Assef e ele se omitiu.

O romance possuir ingredientes que atrai o leitor, sublimando aspectos da personalidade humana e distorce à identificação cultural norte-americana, como uma das raras oportunidades para o alcance da felicidade.

O livro fala da invasão russa, do regime talibã, mas, omite o envolvimento político dos Estados Unidos na região.

Independente da tendência política e cultural a narrativa traz reflexões sobre os conflitos da psique.

Neste aspecto, atinge o objetivo.

Khaled Hosseini

khaled-hosseini-2Médico nascido em Cabul capital do Afeganistão, com naturalização estadunidense.

Sua mãe era professora e o seu pai trabalhou no Ministério do Exterior afegão.

Em 1976 mudou-se com a família para Paris por conta do emprego do seu pai.

Enquanto estavam em Paris, os comunistas assumiram o poder.

Formou-se em medicina na Universidade da Califórnia em San Diego, Estados Unidos.

Escreveu além do Caçador de Pipas, A Cidade do Sol e O Silêncio das Montanhas.

Referência bibliográfica

O caçador de pipas: romance / Khaled Hosseini; Tradução de Maria Helena Rouanet. – Rio de Janeiro. – Nova Fronteira, 2005.
Tradução de: The kite runner.
368p.:
ISBN: 85-209-1767-4
1. Amizade – Ficção. 2. Cabul (Afeganistão) – Ficção. Romance afegão. I. Rouanet, Maria Helena. II Título.
(R)

3 comentários

  1. É um livro brilhante, digno de leitura e que, diferente da manioria dos best-selers, possui um grande valor literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *